A Caixa Econômica Federal anunciou que os novos contratos de financiamento imobiliário fechados a partir do dia 13 de abril de 2020 (segunda-feira) terão uma carência de seis meses para o pagamento. Durante esse tempo, as pessoas físicas não precisarão pagar as parcelas.

Pelo twitter, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que para contratos mais antigos, por hora, se mantém o benefício anunciado no final de março, onde a pessoa física pode suspender até 3 meses o pagamento das prestações. Porém, tal medida pode ser estendida caso a crise se agrave.

Há um compromisso nosso que, se houver uma crise mais forte, nós avaliaremos estender para quatro meses.

declarou o presidente da Caixa

Para se cadastrar na suspensão, a Caixa recomenda a utilização dos meios digitais e telefônicos do banco, como o site da instituição ou o aplicativo “Habitação Caixa”, além dos telefones 3004-1105 e 0800 726 0505. Para renegociação dos contratos você pode entrar em contato com eles pelo número 0800 726 8068. Para nossos clientes, entre em contato conosco pelos nossos meios de comunicação no final desta postagem que lhe auxiliaremos com o que for preciso e tiraremos todas as dúvidas que tiver.

A Caixa também anunciou a possibilidade da utilização do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para pagamento de parte da prestação.

Outras medidas para pessoas físicas anunciadas pela Caixa:

  • Clientes adimplentes ou com até duas parcelas em atraso poderão optar pelo pagamento parcial da prestação do financiamento, por 90 dias;
  • Aos clientes que constroem com financiamento da Caixa (construção individual), será permitida a liberação antecipada de até duas parcelas, sem a vistoria;
  • Renegociação de contratos com clientes em atraso entre 61 e 180 dias, permitindo pausa ou pagamento parcial das prestações;
  • Pausa de 90 dias no financiamento habitacional, para clientes adimplentes ou com até duas parcelas em atraso, incluindo os contratos em obra.
Para empresas

A caixa também anunciou algumas medidas para ajudar pessoas jurídicas a partir do dia 13 de abril.

Elas são:

  • Antecipação de até 20% dos recursos do Financiamento à Produção de empreendimentos para obras a iniciar;
  • Antecipação da liberação dos recursos correspondentes a até três meses, limitado a 10% do custo financiado, para obras em andamento e sem atrasos no cronograma;
  • Liberação de recursos de financiamento à produção não utilizados pela empresa nos meses anteriores, limitado a 10% do custo financiado;
  • Pausa no financiamento à produção de 90 dias, para clientes adimplentes ou com até duas parcelas em atraso, incluindo os contratos em obra;
  • Permitir o pagamento parcial da prestação do financiamento, por até 90 dias, para os clientes adimplentes ou com até duas parcelas em atraso;
  • Inclusão ou prorrogação de carência por até 180 dias, para os projetos com obras concluídas e em fase de amortização;
  • Possibilidade de prorrogação do início das obras por até 180 dias;
  • Admitir a reformulação do cronograma de obra, nos casos de contingências na execução por questões decorrentes da pandemia.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco que lhe auxiliaremos.

Financeiro – (14) 99882 4071

Administrativo – (14) 99183 7777

Reparos  – (14) 99882 4005

Corretor On-line – (14) 99717 5858

Leave a Reply